terça-feira, 20 de setembro de 2011

FRÁGIL COMO UM BALÃO DE AR

Giulia Gomes

A vida é feita de momentos! E o grande segredo é guardar os bons lá no fundo do coração e mantê-los sempre presentes nas nossas memórias. Todos os dias eu escrevo na minha agenda os momentos mais felizes do meu dia. Quando as coisas não estão muito bem eu corro para aquelas palavras que me levam de volta. Elas me lembram que temos que aproveitar momentos felizes com todas as nossas forças! Sim, força! Porque é preciso força para ser feliz! Força, não dessas que a gente faz para levantar peso... mas, força o bastante para fazer as escolhas certas e selecionar muito bem os pensamentos que ficam na cabeça.


O meu sábado foi de momentos felizes!

Sentei no fundão com três pequenos com umas carinhas de atentados! Vitor, Roberto e Jorge, todos com idades entre 7 e 8 anos.

- Quem pintar o caracol mais bonito vence! – eles finalmente se sentaram e pegaram a folha para colorir.

-Vence o que, tia?

-IH! Surpresa! – eu disse sem fazer ideia do que poderia animá-los.

Comecei imediatamente a matutar um prêmio, um presente, um objeto, um lanche, um doce... até que a ideia partiu de um deles, o que tinha cara de mais espoleto!

-Quem fizer o desenho mais bonito ganha um beijo da tia!

E os três começaram a colorir o caracol sorridente com muita vontade, caprichando!

-E se a tia vencer, o que vocês vão me dar?

-Ganha um beijo nosso! – disse tímido.

Foi arte para todos os lados! Falamos sobre a primavera, colamos pétalas na máscara de papelão em forma de flor, usamos todas as cores da caixa de lápis. No final: 3 beijos na bochecha da tia! – Momento feliz!

Fui brincar com o João! Sempre um capítulo à parte! O João tem seis anos, mas é tão pequenininho! Bracinhos magrinhos, parece tão frágil... Só parece! Eu nunca vi uma pessoinha tão disposta a se divertir!

Ele pegou a máscara de flor que ele construiu e colocou nas minhas mãos.

-Tia, segura pra mim?

Se afastou e trouxe de volta um balão de ar, uma bexiga.

-Caramba, João! Duvido você fazer embaixadinhas!

O João chutou, pegou de novo, jogou com a cabeça, foi com a mão, jogou para o amiguinho, bateu para longe e foi correndo buscar.

Os adultos ficam preocupados...

O João não pode correr muito, não pode comer doce, não pode se agitar demais... etc... etc...

Mas, o João não quer saber! Corre pra lá, pra cá, brinca de pega, joga futebol. Tudo o que passa na mão dele, ele pergunta: -“É meu? É meu?? É meu?!?!

Quando vi, lá estava o João fazendo um esforço danado para segurar todos os balões de ar que “eram dele”! Como se ele quisesse agarrar aquele momento para sempre!

-Tia?! – disse ele entulhado de balões, quase desequilibrando. – Tia?! Coloca a máscara de flor na minha cabeça?! Hum... e coloca também aquele balão ali aqui em cima. – e apontou com a boca algum lugar entre seus braços.

Eu ri! Parecia piada! Um pimpolho que bate quase no meu joelho segurando com seus bracinhos mais de oito balões, e com a flor na cabeça!

Encostei gentilmente no ombro dele e disse: - João! Tá com você!

E saí correndo!

Ele jogou todos os balões para o alto e saiu correndo atrás de mim! Quando conseguia me alcançar segurava na ponta da minha camisa com toda a força e dizia – Te peguei, tia!!

Uma hora o João sumiu e voltou correndo com dois bombons na mão e um pirulito na boca. A mãe preocupada veio correndo atrás.

-Ele não pode comer doce!! Tem diabetes!!

João correu na minha direção e colocou os bombons na minha mão.

-Pra você, tia! – ele me puxou para perto dele e falou baixinho no meu ouvido: -Tia! Não conta pra ninguém! Vou te dar um presente! Um CD com os Power Rangers!

-É mesmo, João?!

- É!! Com as princesas, o Bem 10, os balões. Não conta pra ninguém! –e saiu correndo de novo.

A imaginação de uma criança é um dos bens mais preciosos que existem! Não importa as dificuldades, não importa o que é sério! No fundo, é tudo frágil como um balão de ar... que naquele momento era dele! Todos dele! E todos importantes! Preciosos! Como um segredo... que ele não conta pra ninguém! Mas que todo mundo entende... só de olhar pro sorriso do João.

http://www.sonharacordado.org.br/riodejaneiro/lettera.php?idsec=8

5 comentários:

Tania do Zé disse...

Que texto lindo Giulia! Emocionei-me de verdade! Você é uma pessoa linda por fora e por dentro! Deus te abençoe sempre!!!

Berenice disse...

Vc a cada dia me surpreende mais.... Sabe como ninguém colocar a emoção nas palavras e no coração de quem te lê.... E agora com esse caderninho de bons momentos..... Adorei e adoro vc. Mamy

Paula Trubat disse...

João é um potinho de felicidade ambulante, não é?
Parabéns pelo texto! :)

Aluisio G.Silva Jr. disse...

Oi Filha, peguei emprestado uma carta do Drummond à sua filha para comentar seu texto:
"Escreva, minha filha, escreva. Quando estiver entediada,nostálgica,desocupada,neutra,escreva. Escreva mesmo bobagens, palavras soltas, experimente fazer versos,artigos, pensamentos soltos, descreva como exercício o degrau da escada de seu edifício (saiu verso sem querer),escreva sempre, mesmo para não publicar e principalmente para não publicar. Não tenha a preocupação de fazer obras primas, que de há muito já perdi,se algum dia a tive, mas só e simplesmente escrever, se exprimir, desenvolver um movimento interior que encontra em si próprio sua justificação.Isto é melhor que traduzir Proust,distração que não distrai,porque é chata como toda tradução,e acaba nos desculpando muito fracamente perante nós mesmos de não havermos escrito por nossa conta e responsabilidade.”
Continue escrevendo...
Beijos,
Aluisio

Mariana Bueno disse...

Adorei o texto. Impossível não se emocionar! Sou muito feliz por poder fazer parte de todos esses momentos! =)