quarta-feira, 22 de julho de 2009

Falando Sério

Era uma vez um óvulo e milhares de espermatozóides... o resto dessa história todo mundo conhece, mas, para os desavisados, vou fazer um breve resumo. Um pequeno espermatozóide saiu na frente, fecundou o óvulo e as células começaram a se multiplicar e depois de nove meses surgiu um pequeno bebê. Mamãe e papai decidiram batizar e o cartório registrou: Matheus.

Ele cresceu forte e saudável, estudou, namorou, bebeu, brincou, saiu, dançou. Começou a fazer jornalismo na Universidade Estácio de Sá, em Niterói, em 2006. Estagiou no jornal “Estaciente”, no “O Fluminense”, no “O São Gonçalo”, passou por uma agência de clipping. Em 2008, ingressou na Universidade Federal Fluminense através de transferência externa no curso de jornalismo. Atualmente, é estagiário do Núcleo de Comunicação Social (Nucs) da UFF.

Em 2009 começa a escrever esse blog e para de falar em terceira pessoa ao se referir a si mesmo.

Pronto. Cá estou de novo. Falando. No gerúndio mesmo, pois o ato de falar é um gesto eternamente contínuo. Em um mundo extremamente globalizado, a comunicação é a ferramenta mais importante nas relações interpessoais e, ter voz, deixa de ser uma necessidade e passa a ser um pré-requisito. A sociedade engole aqueles que permanecem calados.

“Na primeira noite eles aproximam-se e colhem uma Flor do nosso jardim e não dizemos nada. Na segunda noite, Já não se escondem; pisam as flores, matam o nosso cão, e não dizemos nada. Até que um dia o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua e, conhecendo o nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E porque não dissemos nada, Já não podemos dizer nada”

Vladimir Maiakóvski


Usei o texto acima por uma razão óbvia. Não podemos mais ficar calados. É chegada a hora de falar sério. Não me proponho a apresentar teorias conspiratórias, nem apresentar teorias críticas a respeito da cobertura jornalística (apesar de vez ou outra isso acabar acontecendo). O interesse é olhar a sociedade e, em uma atividade de suspensão do cotidiano, ver as mazelas que nos afligem.

No mais, boa leitura!

4 comentários:

Ana Leticia Ribeiro disse...

Só uma observação: cresceu forte e saudável???????????
Bom.. pode até ter sido uma criança com saúde, mas agora... bichado!!!!!! E eu aqui do lado dele correndo o grave risco da suína... Tchau, Matheus!

Murilo disse...

Muito bom!

"Em um mundo extremamente globalizado, a comunicação é a ferramenta mais importante nas relações interpessoais..."

Já reparou que esse trecho é a introdução de quase todo assunto atualmente? Experimente uma redação, daquelas de vestibular e concursos em geral, e veja se não cabe com qualquer tema proposto...

Giulia disse...

Noooossa, suspensão do cotidiano??
Vlw Silvia!!
hahahha
Mto bom!

Lívia Pinho disse...

"Vlw Silvia!!"
hahahahahahahhahahahahahaha....